domingo, 27 de setembro de 2009

Meus primeiros 100K!!!


Grandes e estimados amigos!!! Hoje completei meus primeiros 100K de bike. Uma mistura de alegria e um certo sofrimento, pois começamos com alguns problemas inesperados.
Primeiramente, ontem tivemos um jantar comemorativo de mais uma primavera da minha amada Cilmara... Logicamente que, como um bom e dedicado companheiro, fui o chef e dei uma leve deslizada nos acompanhamentos que continham alcool. Para acordar as 6:30h hoje não foi fácil!! No meio do treino, jurei mais uma vez que vou abandonar o álcool (tomo em pequenas quantidades, já bebi em maiores, porém, mesmo estas doses atrapalham o rendimento, a concentração e a saúde, mas isso é assunto para um tópico futuro)...
O meu parceiro de pedal, que combinou de me encontrar hj, não apareceu, nem ao menos mandou notícias de sua ausência.
Fiquei sozinho e entrei num pelote que saiu logo após minha chegada. Não conhecia ninguém, porém fui me apresentando, fazendo novas amizades e logo estava enturmado. A turma saiu forte e logo nos 300m iniciais, furou um pneu...Continuamos pedalando a cerca de 40 a 45 km/h., porém quando cheguei nos 10K, uma subida nos separou... Sempre elas... E o engraçado é que depois que você fica pra trás, fica bem mais difícil de alcançar o bando novamente. Lembro que o vento estava a favor, e muito forte. Mas só fui notar isso no retorno da primeira volta (eram aproximadamente 25k de ida e 25k de volta x 2), onde a velocidade caiu vertiginosamente. O Marcos e o Gaúcho me esperaram, e com mais um novo amigo, o Sr André, que pedala há 40 anos, formamos um novo grupo e voltamos todos juntos. Uma média de 26k, dois pneus furados, e uma parada no serviço do pedágio para tomar água. Encontrei a turma da minha assessoria no final da primeira volta. Pedalamos um pouco juntos e nos separamos. No final da volta número o1, pausa para foto com um novo amigo - o Marcão, que furou dois pneus, mas não afroxou!! Prazer em conhecê-lo!!!
Após a pausa, um sachê de gel e água de coco, fui em rumo aos meus 100K... Até então só alegria e empolgação!!! Aí que começou o pepino!! Achei mais dois ciclistas e fui com eles uns 2oK, só que os caras estavam pedalando muito forte... Mais ou menos no ritmo dos anteriores, e pior, estavam descansados... Acompanhei. 20 Km. Me separei deles quando retornaram no pedágio, e segui um pouco mais a frente sozinho para completar a distância, pico de velocidade na descida de 60km/h e quando retornei, vento contra e morro acima!!! Baixou para 20, 19, 18, 17 Km/h...
Quando não havia morros ou árvores por perto, a roda dianteira da bike chegava balançar... Em um determinado momento, quase saí do acostamento. Mas aguentei firme. As pernas começando a doer, na altura da coxa, a palma da mão também, por se apoiar no guidão... Pensei em pedir carona... Por sorte foi um pensamento momentâneo!!! Continuei firme, apesar da força contrária do vento, que me fazia pedalar a uma média de 17 a 22Km/h, sem vácuo, sem parceiros por perto, sem nada e com rajadas de areia e pó vindo de frente e dos lados. Assim foram os últimos 30K, acho que tem areia até agora em minha boca (após tomar um bom banho e escovar os dentes na chegada... heheheheh). Mas valeu!! Muito 10 o treino. Espero que no próximo, o vento não atrapalhe tanto...
Treino de sexta: pela manhã, 8k de corrida, sendo 2k aquecendo e três tiros de 2K, sendo 300m fortes e 1700m moderados. A noite, 2500m nadando.
Treino de sábado: 16K em 1:25 aproximadamente, com uma parada inesperada do cronômetro no Km 13, e eu me perdi... O pé doeu um pouco no começo, mas depois deu uma folga...
Amanhã: FOLGAAAAAAAAAAAAAA!!!!!
Bom domingo á todos e uma semana cheia de acontecimentos maravilhosos.
Força e equilibrio.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Treino de hoje...

Olá caros e estimados amigos....
Após 2600m de natação na segunda e 3000m na terça (não são distâncias diretas, mas intervaladas, com tiros de velocidades variadas, palmares e nado solto), ontem fui direcionado para a corrida, focando a prova de novembro.
Foram 10K em 52.3o', levando solto, ao redor do quartel, com uma subida de 1,1Km, em cada volta (são 2 de 4,5k), porééééémmmmm, nem tudo são flores!!! Nos últimos 800m o pé começou a incomodar. Não sei mais o que fazer. Medicamentos eu não tomo (antiinflamatórios), para não mascarar a dor. Alongo e fortaleço diariamente. E o tal do pé direito não para de incomodar.
Mas vamos as notícias boas. Acredito que hoje tenham começado os treinos em dois turnos. Manhã e noite. Pelo menos a empolgação é gigante. Escrevo isso para ficar mais motivado e com um compromisso moral com os amigos e leitores. Assim, lembrarei que tenho testemunhas na hora de pular cedo da cama (considero a pior).
Hoje, acordei 5:50h, as 6:30 saímos da frente da academia para pedalar em diração á Campo Largo. Fizemos 41km, um pneu furado e muitas, muitas subidas. Ali vi que meu preparo está muito aquém do esperado. Pedalar no plano é moleza... Na subida é que separam-se os homens dos meninos. Sendo assim, até agora há pouco estava me sentindo com poucos meses de vida. Mas tudo melhora com a frequênncia e disciplina. Tenham certeza. Abração á todos, saúde, força e equilíbrio!!!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Dicas de natação


* Extraídas da internet:

1ª – Como nos dois outros esportes, respeite a prescrição feita pelo seu coach em relação às intensidades e volume dos treinos. Não esqueça o aquecimento!


2ª – As largadas das provas são sempre tumultuadas e estressantes. Tente simulá-las, juntando alguns parceiros de treino (4 a 6) numa mesma raia e fazendo algumas repetições de 25 metros.


3ª – Em muitas provas, precisamos sair da água e contornar bóias na areia, para então partir para a segunda volta. Você pode treinar para uma prova com essa característica, fazendo séries longas (ex: 4×600m ou 3×800m) em ritmo de prova e ao invés de fazer o intervalo parado na borda, saia e dê uma volta correndo ao redor da piscina.


4ª – Como é permitido nadar na esteira de outros atletas durante as provas, procure fazer isso também em alguns treinos. Você aprenderá a nadar rápido poupando energia!


5ª – Como numa prova de triathlon as condições (correnteza, mar agitado, tumulto, entre outras…) são muito diferente das que você encontra na piscina, procure treinar valorizando o que você mais precisará ter: força! Então, utilize bastante o palmar e também o pullboy (que simula a flutuação obtida com o uso da roupa de borracha, liberada na maior parte das provas). Não se preocupe tanto com educativos e séries de pernadas, pois estes te ajudarão muito pouco durante a competição.


6ª – Procure nadar olhando para o fundo, pois isso eleva o quadril e melhora sua posição n’água. Como no triathlon, não batemos muito as pernas (para evitar o desgaste), essa técnica pode ser eficiente!


7ª – Faça treinos em águas abertas com certa regularidade (se for possível), para treinar sua orientação, pois essa é a realidade das provas! Não adianta nadar bem se você não sabe para onde está indo!!!

domingo, 20 de setembro de 2009

Treino de hoje, e da semana...

Olá amigos...
Passei rapidinho só para dar boas notícias.
Enquanto faço um gelinho para o pé, fato comum após minhas últimas corridas, devido a recuperação, vou relembrar meus treinos da semana.
Segunda a quinta, média de 2600m de natação, tentando aumentar a velocidade. O fôlego está aumentando e a técnica melhorando.
Sexta, uma folguinha,
Sabadão, fui tentar um longuinho de 15k, porém no km 13, senti a dor no calcanhar novamente. Parei na hora e até para caminhar ficou dolorido. Engraçado, como do nada, de repente, aparece um prego no calcanhar. Que situação chata. Um amigo meu falou que convive com isso há anos. A resposta do fisioterapeuta é falta de alongamento e fortalecimento. Estou fazendo os dois. Aguardo resultado.
E o treino de hoje? 50km de bike, na média de 30km/h e mais 10k de leve (pelo menos o pé não doeu), na faixa de 56 minutos. Acho que estamos em franco progresso.
Um abração a todos e um salve pra Xurupita!!!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Humor - Como bater o Recorde Mundial de Natação.

Parte I:

Parte II

domingo, 13 de setembro de 2009

Treino de hoje - 13-09-09

Olá amigos, após um tempinho sem pedal, hoje dei uma esticada de 55Km em aproximadamente duas horas, contando com boas subidas, uma parada para um lanche e muita risada (por conta dos bons companheiros). Conversas sobre gel, proteínas, e como melhorar o rendimento da pedalada (assunto para um post próprio). Após isso, uma corrida no parque de 5Km em 27 minutos aproximadamente.
Que bom voltar aos treinos novamente e sentir aquele super bem estar após as atividades, mesmo após a boa chuva que nos trouxe direto pra casa, antes do programado...
Esta semana começarei a aumentar a rodagem, até mesmo porque, após um mês e alguns dias parado com a corrida, senti que o fôlego deu uma enfraquecida (já não era "o" folego, imaginem agora). Melhorei no nado, piorei na corrida. O que estou analisando é que o foco deve ser mantido no todo, e não no individual. Logicamente que, com uma lesão, você não tem miuta opção. Ou para, ou adia a parada.
A melhor notícia foi que nas corridas de ontem e hoje, nada de dor ou incômodo da minha fasceíte!!! Valeu Papai do Céu, fisioterapeuta (Dr Juarez), e todos que torceram pela minha melhora!!
Foco na Maratona de Curitiba!!! "Run Forrest, run!!!"
Abração á todos!!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Cesar Cielo - Indignação

"Dessa vez não foi pelo fato de ter ganhado alguma prova de natação, mas pela entrevista corajosa que deu ao jornal O ESTADO DE SÃO PAULO.
Cesar bastante irritado, falou da falta de apoio da CBDA, (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos). César disse com todas as letras que não teve ajuda da confederação e muito menos do governo. Sua vitória de deve a ajuda de seu pai e de patrocinadores.
Para tanto estava treinando nos Estados Unidos. E o presidente da confederação queria que ele voltasse para o Brasil, para treinar aqui. Queria também que ele fosse ao palácio do planalto para fazer o cartaz do presidente. Coisas que ele rejeitou. Daí para frente foi ameaçado de ficar sem o pouco de facilidades que a confederação lhe dava.
Minha vitória tem muito pouco a ver com eles, disse o nadador quando participou do troféu José Finkel, nas piscinas do Corinthians. Querendo eles ou não, sou campeão olímpico, e isso eles terão que engolir. Desde que me tornei profissional, em março, paguei tudo: alimentação, hospedagem, e até meu técnico (o australiano Brett Hawke). Ele ficou assustado, quando lhe perguntaram se a CBDA havia ajudado em alguma despesa.
Sua resposta foi essa: 'Serio que vocês estão me perguntando isso?' 'Pensei que vocês estivessem brincando'. César Cielo contou que além de não receber auxílio da CBDA, teve problemas com o presidente. Entre outras ameaças, ele ameaçou suspender os pagamentos, que eu vinha recebendo dos correios, quando disse a ele que não viria para uma cerimônia no palácio do Planalto. Ele vivia telefonando para meus pais, e não os deixava trabalhar sossegado. Fiquei nervosoe treinei mal por uns dias.
Esse é o governo que temos. Pelo que se vê o dedo do governo está em tudo. Atletas têm que ir a Brasília para pedir a benção do 'padrinho'. Ainda bem que não vimos medalhistas em Brasília puxando o saco do governo."*
* Recebido por e-mail.
- Achei interessante para analisarmos o outro lado da moeda, contado por alguém honesto. Sempre ouvimos histórias de todos os lados em que a ajuda governamental ao esporte brasileiro é quase nula. Não tenho cor partidária, mas acho isso um tremendo desaforo e falta de honestidade do lado político brasileiro (será que estou repetindo algo??? Heheheheh). Não consegui comprovar a veracidade da entrevista perante o jornal... Mas, mesmo que não for verdadeira, há uma moral de história que todos sabemos ter grande relação com a vida real!!!
Abração a todos!!

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Meioscência e alterações no corpo


(BR Press) - Hipócrates de Cós, considerado o pai da medicina, escreveu: "Os homens acham algumas alterações divinas simplesmente porque não as compreendem. Mas, se chamassem de divino tudo o que não compreendem, ora, as coisas divinas não teriam fim".

Se Hipócrates ainda estivesse vivo, poderia ver que a ignorância que ele tanto abominava sobreviveu à seleção natural, assim como seu efeito sobre as pessoas. Muito do que poderia ser evitado, principalmente em termos de saúde, continua sendo rotulado de "vontade de Deus". Como se a depressão, a obesidade e a falta de condicionamento físico fossem carmas determinados no além-vida. Balela.

Os efeitos dos maus-tratos com seu corpo começam ainda na adolescência, mas é apenas na meioscência que as contas começam a chegar de verdade. Felizmente, os avanços na compreensão do que significa cuidar bem de si próprio vêm permitindo que toda uma geração alcance os 40-60 anos de idade com muita experiência, garra e paixão.

Apesar dos meioscentes estarem no centro de uma revolução nada silenciosa, eles ainda são negligenciados por agências de turismo e empresas de entretenimento. Basta puxar uma planilha qualquer no computador para determinar exatamente os gostos e desejos do público infantil, dos adolescentes, dos adultos jovens e dos grupos de terceira idade. Mas o que os meioscentes querem? O que eles buscam?

Como meu papel aqui não é fornecer consultoria grátis para prestadores de serviço, vou apenas passar para você alguns segredos para usufruir sua meioscência com qualidade, associando uma cabeça madura ao espírito cada vez mais jovem:

- Havia um tempo em que a maturidade era considerada uma etapa da vida em que tudo dói, e o que não dói, não funciona. Nos últimos 30 anos, isso virou ao avesso. Desde as redescobertas do médico Dr. Cooper e da atividade que terminou levando seu nome, é sabido que a prática regular de exercícios físicos oferece enormes vantagens no curto, médio e longo prazo. Desde aumento da auto-estima e da qualidade do sono, até melhoras no controle do estresse e da performance sexual, a atividade física periódica é uma senhora fonte da juventude. Beba desta fonte sem moderação.

- Tenho pacientes que passam dos 50 anos e se transformam em verdadeiros animais selvagens. Mas no caso deles esse animal é uma preguiça. Fuja desta armadilha: aproveite cada instante único de todos os dias. Faça planos, sonhe, saia de casa de peito aberto para os novos desafios. Você está na meia-idade, amigo! Ânimo! O pior ainda está por vir.

- Este papo de "o importante é ser feliz, vaidade não está com nada" é muito bom para aquelas pessoas que, quando sentem vontade de se exercitar, deitam para esperar passar. Bem dosada, a vaidade é um excelente tempero. Muitas vezes, será ela quem irá tirar você do sofá para fazer as coisas que você sabe que têm que ser feitas. Não importa se em vez de pentear os cabelos você agora está apenas arrumando os que sobraram: considere a vaidade uma agente motivacional para sua saúde.

- Sabe como você descobre que o tempo passou? Quando pára de criticar a geração mais velha e começa a criticar sistematicamente a mais nova. Cuidado com isso. Algumas idéias atrevidas, nascidas na atmosfera da juventude, podem lhe garantir um gás adicional para encarar a rotina com um olhar renovado. A estrada para a felicidade está calçada com tijolos dourados de serenidade e deslumbramento. Faça questão de colocar seus pés sobre os dois tipos.

- Relacione-se, dance, pratique sexo, viva seu lado romântico antes que ele entre na lista do World Wildlife Foundation para espécies ameaçadas de extinção. Descubra a excitação que é estar em um jantar à luz de velas e não conseguir ler o cardápio. Vá com sua cara-metade a um motel exótico e se divirta com novas posições. Por precaução, leve uma caixa de antiinflamatórios e o telefone daquele fisioterapeuta seu amigo, especialista em distensões.

- Aceite o fato de que tudo que a Mãe Natureza lhe deu, o Pai Tempo levará embora. Por isso, pelo menos uma vez ao ano, deixe de dar bons conselhos e dê pelo menos um mau exemplo. Faça alguma maluquice: pule de pára-quedas, aprenda a tocar tuba para desespero da vizinha de baixo, passe o fim de semana acampado na Chapada dos Guimarães, sendo visitado por pernilongos e neo-hippies, e não se incomode em voltar na segunda-feira. Todo trabalho e todo dinheiro do mundo jamais medirão uma vida.

*Dr. Alessandro Loiola é médico, escritor e palestrante. Autor de, entre outros livros, "Para Além da Juventude - Guia para uma Maturidade Saudável" (Editora Leitura). Fale com ele pelo e-mail aloiola@brpress.net

domingo, 6 de setembro de 2009

Quenianos dominam Meia Maratona do Rio de Janeiro nas duas categorias

Os quenianos dominaram a Meia Maratona do Rio de Janeiro neste domingo. Elias Chelimo Kemboi (1h02m51s), no masculino, e Eunice Kirwa (1h14m07s), no feminino, enfrentaram o tempo chuvoso e garantiram a medalha de ouro na 13ª edição da prova. Os brasileiros Giomar Pereira da Silva e Marily dos Santos ficaram com a medalha de bronze. Mais de 17 mil pessoas participaram da prova de 21km.


No ano passado, o ouro foi do Brasil com Marilson dos Santos. Mas, na edição deste ano, ele optou em não participar e a festa acabou sendo outra vez dos quenianos. O melhor representante brasileiro no masculino foi Giomar Pereira da Silva, que chegou atrás do também queniano Joshua Kemei, segundo colocado.

No feminino, Marily dos Santos não ocnseguiu superar as forte quenianas Eunice Kirwa e Meseret Hailu Debele, primeira e segunda colocadas, respectivamente.

Aguardo relatos dos amigos que participaram... Bom domingo!!!

Feriadão....

Li duas matérias interessantes neste final de semana e resolvi compartilhá-las com meus amigos.
Foram retiradas da revista Vo2 deste mês e me fizeram dar uma boa refletida sobre treinos, foco e motivação. Acredito que farão muito bem a quem puder ler. Abração á todos!!

Texto Motivador I - O amador da Elite.

" AS DESCULPAS PARA DESANIMAR SÃO SEMPRE MAIORES E MAIS FREQUENTES. ENTÃO, NÃO PENSO MUITO. ACORDO, PEGO MINHA BIKE E VOU PEDALAR. PRONTO."

"O ciclismo e a minha vida já estão integrados faz tempo. O topo de uma montanha não é uma vitória esportiva, é uma vitória pessoal. Adoro desafios. Eles são minha motivação. Quando criança, momento em que a bicicleta entrou em minha vida - e na vida da maioria das pessoas - sempre me desafiava ir além. Meu primeiro emprego foi de entregador. Lógico, fazia isso de bicicleta. Escolhia as subidas mais difíceis e tentava chegar cada vez mais rápido. Isso me fez melhor.
Quando jovem, sonhava com o dia em que pedalaria na Europa. Não me tornei um profissional. Treino todos os dias com a paixão de um amador e há dois anos faço parte da equipe Tecnoval. Há dois anos viajo como conidado de miha equipe para competir na Itália e na França e volto com bons resultados. è o melhor exemplo de que é preciso sonhar nesta vida. Por mqis que pareça impossível, tem que acreditar.
Infelizmente, viver do ciclismo é quase impossível. Tive que me afastar dos pedais durante a faculdade. è poca em que trabalhei e estudei. Formei-me em farmácia e logo montei uma drogaria pra mim.
Uma coisa é certa, em farmácia só vai quem está doente. è um ambiente estressante. A pessoa chega lá desanimada com a doença e com o fato de gastar com um tratamento. Enfim, logo vi que precisava de um esporte para me desestressar.
Em 2005 voltei a pedalar. Apenas treinando empiricamente não iria muito longe. Sempre adoecia. Encontrei a assessoria BR Sports e acho que fui muito feliz nesta escolha. Trabalhando das 8h as 20h, preciso sair de casa as 5:30h para pedalar, voltar, tomar banho e correr para o trabalho.
Hoje, treino em média 2h, 2:30h por dia. Faça chuva ou faça sol. Nem preciso dizer como é difícil sair de casa nestes dias frios. Mas não me permito falhar. As desculpar para desanimar serão sempre maiores e mais frequentes. Em poucos momentos você encontrará algo realmente motivador. Então, não penso muito. Acordo, pego minha bike e vou pedalar. Pronto.
O ciclismo, para mim, é o mais difícil dos esportes. O resultado demora muito para aparecer e quando você acha que está muito bem, vem 20 adversários e chegam melhor que você nas provas.
Além disso, é preciso ter sempre uma dieta e um cuidado com o peso, com a recuperação. O apoio da família é sempre muito importante. Minha noiva, por exemplo, sabe que no final de semana de prova, o sábado está comprometido e o domingo também, pois tenho que descansar.
Como farmacêutico, tenho acesso a tudo. Apesar das brincadeiras de amigos, mantenho-me distante das drogas do ciclismo. Meu conhecimento e minhas experiências com clientes deixam muito claro os problemas de quem opta por este caminho. Uma nutricionista me ajuda com a dieta e com os suplementos - uso basicamente maltodextrina - e meus exames de sangue demonstram um nível normal de hematócrito.
Quem apela para as drogas não consegue se manter em alto nível por muito tempo. Se tenho os títulos paulista e valeparaibano de resistênica 2008, isso é fruto da minha consistência. Nem sempre eu ganho, mas estou sempre entre os melhores.
Nos dois últimos anos tive a chance de competir em provas internacionais, convidado pelo patrocinador da equipe que integro, a Tecnoval. Fui o melhor brasileiro no último L'Etape do Tour. Mas sem dúvida, o que mais me marcou nesta etapa foi a paixão dos europeus pelo ciclismo. Ver os freanceses nas ruas, naquele dia de temperatura fria, aplaudindo os amadores foi sensacional.
E pensar que as pessoas que encontro na rua enquanto pedalo, muitas vezes me xingam, e pensam que não tenho nenhum compromisso. Que eu sou um á toa, atrapalhando o trânsito. Quanta diferença.
Sou um ciclista com bom desempenho nas subidas e que se defende bem nos sprints. Neste ano fui o 84º entre os 9.000 participantes da Maratona dles Dolomites, prova amadora disputada na Itália. Semanas antes, em uma cronoescalada no Passo Pordoi, com 9,5km, fiquei em segundo na minha categoria.
Se vale a pena tanta entrega? Claro. Fui picado pelo bichinho do ciclismo, como dizem meus amigos. Senão, não chegaríamos de uma viagem de avião de 12hs e iríamos para Interlagos, alinhar para a 9 de julho. Isso é paixão pura!!!"

Emerson Gomes Ferreira - 24/10/78
Para a revista Vo2.

Texto motivador II

" Os ciclistas que deixaram seu nome na história do esporte sempre foram atletas de características extraordinárias, que os colocam na frente de seus oponentes. Vou citar como exemplo Miguel Induráin. Desde as categorias de base, os médicos falavam que ele possuía o dobro da capacidade de recuperação dos outros corredores. Em comparação a nós, se pedalássemos juntos durante dez dias, o desgaste dele era de apenas cinco dias. E, recuperando-se muito rápido, é evidente que sua qualidade física é melhor.
Mesmo que tenham alguma capacidade rara para o pedal, entretanto, estes ídolos também são extremamente dedicados e concentrados, sempre com pensamento positivo e muita determinação. Dizemos que eles tem saúde de ferro, mas não é só isso.
O italiano Mario Cipollini é outro bom exemplo. Por mais que ele, merecidamente, tenha fama de playboy, pois gostava de ir a boates e de aproveitar a vida social agitada, não deixava de estar, todos os dias, em cima da bike as 6h, fazendo um trabalho duro e extremamente produtivo. Ele sabia como estar na mídia, mas também treinava muito para ter o nível que tinha.
Assim, você percebe que todos tem os mesmos princípios para serem campeões. São corredores dedicados e com garra. Eu me lembro que um dos meus colegas de pelotão, Eric Caritoux, sempre dizia: - Na hora da dificuldade é que você vê o caráter das pessoas - ou seja, quando a situação aperta é que você vê quem é capaz de entender as dificuldades e fazer a diferença.
Como no dia em que, antes de uma prova, eu falei pra ele que estava com dor nas pernas. Cariloux disse que sempre estava com este tipo de dor. Ou seja, o que ele quis me dizer é que a dor nas pernas era consequência daquilo que nós fazíamos e que não devíamos ficar melindrados. Ele sempre teve dor nas pernas por causa das corridas, mas sempre soube dar seu melhor, independentemente de qualquer desconforto, como os melhores ciclistas.
Outra coisa que não escapam é dos dias difíceis. Como estamos acostumados a vê-los sempre vencendo, quando eles têm resultados ruis, passam despercebidos. Mas, como acontece com qualquer pessoa eles se sentem mal por não terem alcançado o objetivo desejado e também passam por dias em que se sentem fracos e não conseguem apresentar seu melhor desempenho. O que é difícil para você, para eles é tão difícil quanto.
Quando convivemos com os grandes nomes da história do ciclismo, percebemos duas coisas: que eles são atletas que tem um talento especial, por isso se sobressaem em relação a outras, mas também são pessoas normais.
Um dos meus bons companheiros, que me ensinou muito e com quem mantenho uma grande amizade, foi Marc Madiot, que hoje é diretor da Française des Jeux. Nós conversávamos muito sobre automobilismo e ele sempre brincava falando que achava as brasileiras muito bonitas e que eu devia lhe apresentar algumas. Mas ele também era uma pessoa extremamente determinada na sua vida pessoal, tanto que conseguiu montar uma equipe de ciclismo - tarefa difícil, pois não é qualquer um que convence um patrocinador a dar 30 milhões de euros para cada temporada.
Tudo que eu faço hoje, o meu jeito de ser, de pensar e conduzir minha vida, tem relação com o que vivi no esporte. Foi uma grande escola da vida, que eu uso no meu dia a dia. Grande parte do que aprendi veio da convivência com estes atletas, em que eu aprendi a me questionar, mas sempre acreditando na minha capacidade."

Mauro Ribeiro - Técnico da Equipe Flying Horse Caloi Unilance de Ciclismo e da seleção Brasileira de Estrada. (Revista Vo2)

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Alongamentos pós treinos - para o feriadão

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Edge 500 da Garmin


De olho na tendência de substituir carros por bicicletas, a Garmin acaba de apresentar o seu Edge 500, um GPS feito especialmente para ciclistas.

Por isso mesmo, ele empacota uma porção de características bastante empolgantes para quem prefere a vida em duas rodas. Além da posição, o dispositivo indica velocidade, distância percorrida, elevação e (até) quantidade de calorias queimadas. Para completar, ele pode ser conectado (sem fios) a outros dispositivos, como medidor de batimentos cardíacos.

Ele deve chegar ao mercado americano em 23 de setembro pelo preço de 250 dólares. Está aí uma ótima companhia para os ciclistas que decidirem se aventurar nas nova ciclofaixas da cidade.

TC PROJETO TRIATHLON© Por Fabiano Tuco. Visite também o Correndo na Chuva.

TOPO